sábado, 10 de janeiro de 2009

When I Go Down.

Eu contarei a todos vocês, machuca muito pensar nisto. Então dos meus pensamentos eu excluirei as muitas coisas que eu odeio mais que tudo, é o modo como eu estou impotente para impor minhas próprias maneiras. Eu joguei fora muitas coisas que poderiam ter sido muito mais e eu apenas rezo. Meus problemas vão embora se forem ignorados, mas não é o modo como isso funciona. Não, não é o modo como isso funciona. Quando eu fico pra baixo, eu fico pra baixo severamente, e eu deixo tudo o que eu tinha aprendido e me ensino algum descuido. Quando eu fico pra baixo, machuca bater o traseiro e das coisas que me trouxeram aqui. Eu penso: Se eu apenas tivesse lutado por elas. Se e quando eu puder me livrar dessa mente confusa, eu me verei acomodando-me dentro de um lugar onde a paz possa me encontrar e achar que eu estou tão pronto para ser encontrado. Eu joguei fora a esperança que eu tinha em amizades. Eu joguei fora tantas coisas que poderiam ter sido muito mais. Eu joguei fora o segredo para encontrar o final para isto. E eu apenas rezo, meus problemas vão embora se eles forem ignorados. Mas não é o modo como isso funciona. Não, não é o modo como isso funciona. Qualquer controle que eu pensei que tinha apenas deslizou pelas minhas mãos enquanto minha sempre presente consciência, mexe com a minha cabeça e me repreende. Me repreende. Então e aí, eu confesso, eu culparei tudo isso em meu egoísmo. Você ainda me ama e isso me consome, e eu levantarei de novo. E farei de tão boa vontade. Você me deu esperança, e esperança me deu vida. Você tocou meu coração pesado, e quando você o tocou, você o fez clarear. Como eu exalo eu ouço sua voz e eu respondo a você, penso que eu dificilmente farei um barulho. E dos meus lábios as palavras que eu escolhi para dizer parecem patéticas, mas são elogios de um homem caído. Porque eu te amo. Oh Deus, eu te amo. E agora vale a pena viver se é apenas por causa de você, e quando eles dizem eu estou morto e passado isto não estará tão distante da verdade. Quando eu fico pra baixo eu elevo meus olhos a você, eu não olharei tão longe porque você estará lá, Com os braços abertos para me erguer de novo. Para me erguer de novo.

2 comentários:

Pordeus. disse...

Queria um terço dessa inspiração :) muito bom.

halbert disse...

Depois tem o seu, dodo. çç