quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Leper, rs.


Desde ontem eu não sei o que é dormir. Passei a noite fora de casa, no frio. 
Valeu à pena.
Meu melhor amigo está indo para missão, em Maceió, e ficará lá por dois anos.
Nunca me vi chorar tanto em um dia. Foi tão ruim vê-lo partir desse jeito. Pelo menos, nós garotos, podíamos abraça-lo. Nosso abraço durou 5 minutos, por aí. Teve gente que disse que não choraram tanto por ele, mas por nós. É.
Todas as pessoas que conhecem ele nunca esquecem, se cativam por seu jeito doce e um pouquinho mongol (só pra não perder a prática). 
Na boa, eu não sei o que vou fazer sem o Anderson. Não é exagero. Fiquei honrado quando ele me escolheu para ser seu companheiro ontem. Me senti tão Élder, ainda mais com você ali. Eu agradeço por isso. Olha, eu juro que estarei aqui quando eu voltar. Juro, desisti de ir pra Caridade, bem. 
Ah, é tão diferente sem você já. 
Com quem eu vou tocar piano? Com quem eu vou cantar?
Ninguém consegue ser como você.
Eu te amo, Anderson. 
Até dois anos...

Um comentário:

Ops! disse...

Não se vá, Anderson D: